Blog

6 dicas para você avaliar o desempenho da equipe de manutenção!

6 dicas para você avaliar o desempenho da equipe de manutenção

A rotina de um Centro de Distribuição costuma ser bem atarefada, ocupando boa parte do tempo hábil dos trabalhadores. Com isso, pode haver certo deslize quanto a alguns processos. O fato é que a equipe de manutenção precisa estar atenta, no intuito de evitar grandes falhas e até mesmo pausas na operação.

Nesse sentido, é fundamental que existam formas de avaliar o desempenho da equipe de manutenção, afinal, tudo o que não se mede, não se gerencia. Assim, os indicadores funcionam como ferramentas para a gestão adequada do CD, já que auxiliam em diversas questões, como a qualidade dos equipamentos e a eficiência das atividades.

Vale mencionar que essa não deve ser uma etapa rígida, pois o foco não é penalizar ninguém, mas sim obter clareza quanto ao fluxo processual. Quanto a isso, é importante saber, ao certo, quais são os objetivos por trás dos indicadores, de modo a fazer uma avaliação útil e precisa.

Para saber como medir o desempenho dos seus colabores responsáveis pela manutenção, continue a leitura deste artigo!

Confira 6 dicas para você avaliar o desempenho da equipe de manutenção!

Agora que você já entendeu que a avaliação dos colaboradores deve estar na agenda do CD, pode estar se perguntando como realizar esse procedimento de maneira assertiva. A seguir, confira 6 dicas para isso!

·   Backlog de manutenção:

O backlog de manutenção é altamente importante para constar na lista de itens a serem avaliados no desempenho da equipe. Isso porque ele se refere ao tempo que seria utilizado, em via de planejamento, na execução de trabalhos.

Em tradução livre para o português, a palavra quer dizer atraso, significando assim, as pendências nas demandas. Aqui, é válido citar que apesar do nome, nem todas as ações em backlog estão atrasadas.

Explicando melhor, ele diz respeito ao somatório da carga horária de tudo que é planejado, programado, executado e pendente, isto é, todos os serviços da operação, que naturalmente, devido a inúmeros fatores, são passíveis de alteração quanto ao tempo gasto. Em seu cálculo, o que se leva em consideração são os minutos, horas, dias, semanas, meses, entre outros.

·   Confiabilidade dos ativos:

A NBR 5462 de novembro de 1994, dispõe acerca dos principais conceitos e terminologias que se inserem na Confiabilidade e Mantenabilidade, o que inclui os tipos de manutenção. 

Como exposto na norma, confiabilidade é a capacidade de algo, como, por exemplo, uma máquina, funcionar corretamente durante um determinado período de tempo.

Para que seja feita a avaliação da equipe de manutenção nesse tópico, pode se aderir ao seguinte pensamento: qual a probabilidade de tal item do CD funcionar, de acordo com as suas especificações técnicas? A partir disso, leve em conta a proporção desse funcionamento com base em horas e analise se questões como reparos, estão ocorrendo em um tempo consideravelmente normal ou mais vezes do que seria necessário.

·   MTTR (Mean Time to Repair):

Outro ponto essencial de ser mensurado tange o tempo médio para reparos, ou, MTTR – Mean Time to Repair. Ele se trata do período levado pelos colaboradores para pôr em operação, novamente, uma máquina.

Ou seja, essa é uma forma de avaliar a equipe de manutenção no que diz respeito à habilidade dela para lidar com o processo no surgimento de falhas.

Para isso, deve-se realizar o cálculo dividindo o tempo total gasto com os reparos pelo valor total de reparos feitos dentro do período.  

Em média, esse tempo gasto costuma ser de 10 minutos, o que significa que o CD precisa estar preparado para essa pausa entre o uso das máquinas.

Ao adotar esse indicador, fica mais fácil identificar problemas que podem ser solucionados com estratégias inteligentes.

·       Cumprimento dos planos de manutenção preditiva:

A manutenção preditiva é imprescindível para o CD, por isso, é tão relevante estar atento a ela. De forma resumida, se refere a uma tentativa de prever o tempo de vida útil dos equipamentos e seus componentes para realizar ações pontuais, caso haja necessidade.

Essa etapa se dá através do acompanhamento periódico de máquinas e equipamentos, por meio de informações obtidas em inspeções. Deste modo, ao avaliar a equipe de manutenção conforme o cumprimento dos planos de manutenção preditiva, você estará contribuindo para o andamento das atividades com qualidade e menos chances de ter que trocar suas empilhadeiras, por exemplo.

·       Cumprimento dos planos de manutenção preventiva:

Já este item, relativo ao cumprimento dos planos de manutenção preventiva, ajuda a verificar a situação dos equipamentos em boas condições, com o propósito de observar possíveis sinais de desgastes e agir para repará-los antes de uma piora significativa.

Uma forma de realizar esse cálculo para avaliar a sua equipe é dividindo as atividades de manutenção preventiva pelas atividades agendadas do plano de manutenção preventiva. Além disso, você pode fazer a multiplicação por 100 para ter acesso à porcentagem, e com isso, metrificar ainda mais os seus dados.

·       Satisfação do cliente:

Por fim, um critério que não pode faltar em nenhuma gestão de empresa, seja qual for o seu segmento, se refere à satisfação do cliente. Ele que cada vez mais é visto como uma voz ativa, tendo seus dilemas nas pautas centrais de grandes corporações.

Portanto, indica-se ter máxima atenção na quantidade de reclamações nas entregas do CD, ao percentual de elogios e à taxa de cancelamento de serviços. Não se esqueça também de se certificar quanto à qualidade da comunicação entre o CD e o cliente. Isso acontece de forma simples e ágil? Qual o nível de resolução dos problemas?

E então?

Como vimos neste artigo, há diversas formas para avaliar o desempenho da equipe de manutenção, o que é substancialmente valoroso para qualquer CD.

O fato é: o gerenciamento dos colaboradores não pode se dar apenas por meio de motivação e apoio operacional, apesar destes serem aspectos importantes. É preciso que crie uma cultura de feedbacks constantes, facilitada pela geração de parâmetros avaliativos.

Contudo, se você almeja descobrir como está a produtividade no seu Centro de Distribuição, baixe gratuitamente a nossa checklist e confira!

Adove

Adove

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

EnglishPortugueseSpanish